Como lidar com a "Adolescência do Bebê" ou "Terrible Two"



Normalmente, por volta dos 2 anos de idade, a criança entra na chamada "Adolescência do Bebê" (ou "Terrible Two" - termo em inglês).

O que é?
É aquela terrível fase, quando começam as frequentes crises de birras e malcriações sempre que sua vontade é contrariada. Mesmo os mais bonzinhos e tranquilos surpreendem os pais com ataques de choro e gritos, se jogam no chão, agridem os amigos, batem a cabeça na parede, mordem, beliscam e dizem “não” a tudo que lhes é pedido.



Quando acontece?
Essa fase ocorre entre 1 ano e meio e 3 anos de idade, mas não é regra. Tem criança que passa por essa idade e não tem essa "crise", embora isso seja uma fase de desenvolvimento cerebral da criança e, mesmo que de forma mais calma, ela vai passar por isso.

O que muda para as crianças?
Por consequência desse abrupto desenvolvimento cerebral, há o aumento considerável na competência linguística, a organização do pensamento e a capacidade de exploração do mundo trazem uma percepção de autonomia e independência para tomar decisões ao seu modo.

Quando ela é demonstrada?
Essa fase normalmente é percebida quando há a intervenção dos pais - eles normalmente reagem com as pessoas que tem maior confiança, de forma a testar os limites impostos.

Como lidar?
Por mais simples que isso possa parecer, a resposta para esta pergunta é: com paciência e amor!

Muitos pais perdem a paciência com tanta birra, choro, malcriação e escândalos em local público. Mas a grande verdade é que você não pode se descontrolar, pois quanto mais a criança ver que está conseguindo te afetar, mais ela vai fazer isso - e com mais frequência.

Mantenha a calma, sente ao lado, olho nos olhos (na altura da criança) e tente entender o que ela quer. Se for algo que você possa fazer, faça, mas se não for, não faça e explique o por que.

Jamais faça chantagens ou fale coisas do tipo "se você fizer isso eu vou te deixar aqui sozinho chorando e vou embora". Isso vai deixar a criança mais triste e mais confusa ("se minha mãe não consegue me entender, quem vai me ajudar? quem vai estar ao meu lado?" - é mais ou menos esse o raciocínio deles).

Se esses momentos forem tratados com amor e paciência, essa fase tende a passar mais rápido e de forma menos dolorida.

Mas e os limites? Como impor?
Os limites podem - e devem - ser impostos, porém de forma mais suave, sem deixar de ser firme. O que isso significa? Você deve dizer o por que de não ceder, mas sem ficar gritando.

Não subestime a capacidade de entendimento da criança. Dê o tempo que ela precisa para se acalmar e explique: "agora eu não posso te levar ao parquinho porque eu preciso trabalhar. Se eu não trabalhar, não consigo comprar as comidas que você gosta, não consigo comprar seus presentes, nem nada. Entendeu?", por exemplo. De forma mais simples, mais prática e sem se descabelar, você pode fazer seu filho entender e se acalmar. Combine com ele: "depois que eu voltar do trabalho, nós vamos ao parque".

Pense que é só uma fase
Isso vai passar. Seu filho precisa passar por isso.

Não deixe que essa idade tão gostosa de aprendizado da criança - embora exista essa crise - passar de forma estressante. A vida passa depressa e tudo o que devemos levar para a memória são os bons momentos.

Então a dica que damos é: conte até 10, respire fundo e pense que seu filho é o seu bem mais precioso. Isso vai passar.

Atenção: Este é um site de Publicidade. Embora termos selecionado as melhores empresas, não nos responsabilizamos pelas vendas realizadas por elas.